Maratona de Berlim 2013

Maratona de Berlim 2013

domingo, 7 de abril de 2013

Quando perdi a prova-alvo do semestre para um pequeno mosquito

A gente quer ter voz ativa
No nosso destino mandar
Mas eis que chega a roda viva
E carrega o destino prá lá ...

Chico Buarque, Roda Viva

Estava tudo pronto. Treze semanas de treinos, na sua maioria bem realizados, um último longão de 22,5k duas semanas antes que tinham criado boa expectativa, polimento indo de vento em popa, mas... voltei da viagem do feriadão com umas 1000 mordidas de mosquito e (pelo menos) uma delas era a maldita da dengue.

Tudo começou na quarta à tarde, 4 dias antes da prova. De lá para cá, aquela história que todo mundo sabe, muita dor no corpo, principalmente quadril e pernas, febre constante, enjôo, perda do paladar (muito estranho isso, fica tudo com gosto igual) e perda enorme de apetite. A única coisa que desce melhor é caqui, então estou vivendo à base disso he he. Os 3 primeiros dias foram um pesadelo porque a febre foi constante, mas agora são dois dias melhores, ainda que bem ruins. Na minha família nunca havíamos tido, então não conhecia bem os sintomas. Paciência. Pelo menos a dengue não é hemorrágica.

Não tem muito o que dizer a mais. Devo estar perdendo bastante peso por conta da perda de apetite. A prioridade é melhorar, para voltar a trabalhar e treinar. A ideia é redirecionar os treinos para a meia da Caixa, em 7 de julho, na qual já estava inscrito. Nessa altura (em julho) já deveria estar começando os treinos para a maratona, mas creio que dê para acomodar tudo sem muitos problemas.

10 comentários:

  1. Vim ver aqui como vc estava e acabei lendo um monte de posts que não tinha lido ainda... muito legal. Gostei muito das reflexões. Parabéns pelo blog e melhoras!!!

    ResponderExcluir
  2. Versos poderosos e verdadeiros.
    Melhoras!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Puttttz, noticia triste.
    Bola pra frente.
    Melhoras aeee !!!

    ResponderExcluir
  4. As palavras escritas dizem muito, pelo que dizem ser impossivel escrever sem carga ideológica. De fato. Por essa ninguém na vida podia esperar. Mas o jeito que escreveu revela seu psicológico muito bem, diante dessa adversidade. Cuide bem disso, que as pistas estão garradinhas no chão, sem pressa para seu retorno.

    Grande abraço do claudião dundes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, amigo! bela análise!
      abraço,
      Sergio

      Excluir
  5. Momento para repouso e melhoras aí!!!!

    Um abraço!

    ResponderExcluir

Tenho um enorme carinho pelos que comentam por aqui e procuro responder a 100% dos comentários, aqui na própria seção. Vamos lá, diga aí embaixo o que achou ou qualquer coisa relacionada às corridas...