Maratona de Berlim 2013

Maratona de Berlim 2013

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Metas para 2011

Metas de corrida para 2011
- passar o ano sem nenhuma lesão importante
- completar a meia-maratona de julho sem andar
- completar a meia-maratona de julho em 1h45min
- fazer as 4 provas do Circuito das Estações Adidas
- fazer mais umas duas provas legais, que não sejam da Yescom

Feliz Ano-Novo a todos e obrigado mais uma vez pelo apoio!

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Encerramento do ano da Galera da Meia

Domingo fizemos nosso último treino coletivo de 2010 para a Meia Maratona de 2011. Foi Show!

Estiveram presentes eu, Guilherme, Borges e meu primo Dipson, que debutava no grupo. Outros dois colegas bastante ativos no grupo ainda estão se recuperando de contusões, o Franklin e o Dante. O Dipson é de Macaé, então vai ser difícil contiuar frequentando, mas está convidado! Eu corri 10k, Borges correu 12k e Guilherme correu 15k. Dipson está começando então alternou corrida com caminhada em 7,5k. Tudo isso foi corrida em torno da Lagoa Rodrigo de Freitas, um dos cartões postais do RJ.

Minha panturrilha já está 100%. Mas como os treinos tem sido leves, optei por fazer apenas 10k, e em pouco menos de 59'.Agora em janeiro volto a forçar mais o ritmo para ir melhorando para a Meia.

Com exceção do meu primo, fizemos uma corrida muito agradável, juntos até o 9k, quando eu voltei para completar meu treino. Conversamos um pouco, afinal o ritmo permitia e estávamos juntos. A corrida com amigos é muito boa! Resumindo a semana ficou assim:

2ª feira: off
3ª feira: spinning
4ª feira: corrida Maracanã (leve, 42')
5ª feira: off (Natal)
6ª feira: corrida Maracanã (moderada, 44')
sábado: off
domingo:corrida lagoa, asfalto (10k, 58' e pouco)

O único ponto negativo é que eu realmente sinto muito o sol, que estava bem forte. Por mim começava o treino às 7:00h, que inclusive é o horário da largada da meia, mas o pessoal é contra, fazer o quê... prefiro correr junto aos amigos às 8:00h.

Dia 20 de janeiro tem a Corrida de São Sebastião, em 10k. Espero bater meu PR na distância que é de 56'58". Vamos ver se o calor permite.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

2010 se foi...

é, o ano não terminou ainda, mas já sinto como se tivesse...

2010 foi um ano excepcional em que, no âmbito das corridas...


conheci o meu corpo bem melhor e tive resposta para muitas dúvidas que tinha, entendendo melhor o que funciona bem na corrida para mim...
aprendi a correr com uma forma melhor, pisando primeiro com o meio do pé e não com o calcanhar...
fiz novas amizades e reforcei antigos laços...
aprendi muito sobre corrida em blogs do Brasil e do exterior, além de livros...
fizemos uma bela comunidade de corrida no blog correrias, onde também aprendi muito...
montei uma equipe de corrida com grandes amigos para nos prepararmos para a meia de julho de 2011...
comecei a fazer meu treino longo na companhia de amigos, o que muito me alegra, ainda que a corrida seja um esporte até certo ponto solitário...
incentivei amigos a correr, o que está dando seus frutos...
por mais um ano vi o Borges voar na minha frente...
Consegui perder metade dos 3kg que queria (mas pode ser que os tenha recuperado nas festas de fim de ano)...
corri minha primeira prova de 10k e fiz treinos de mais de 1 hora pela primeira vez...
fiz minha primeira prova em dupla...
participei da minha primeira competição em esteira...
participei da minha primeira competição no autódromo de Interlagos...
corri pela primeira vez em Niterói, São Paulo e Coroa Grande (PE)...
fiz o primeiro treino interestadual, entre PE e AL...
experimentei a (boa) sensação de correr pela primeira vez descalço...
completei duas corridas com tênis minimalista...
criei um blog de corrida e tive o prazer de ver muita gente legal comentar nos posts...
tive visitantes no blog de lugares tão distantes como Japão, Canadá, Suriname, Macau, Bélgica, Rússia, Inglaterra, Alemanha, Espanha, França, Estados Unidos e Portugal...
no Brasil, tive visitantes de 91 cidades...
acompanhei as sagas da "família" Baleias, nas maratonas do Brasil e do exterior...
conheci muitos blogs de corrida legais onde tive a oportunidade de interagir com muitas pessoas bacanas...
tive a alegria de conhecer vários amigos que só conhecia virtualmente, em Julho, na Maratona do RJ...
fui escolhido para ganhar um livro no blog correria, ao enviar uma homenagem a um amigo a quem muito prezo...
terminei o ano tão motivado com a corrida como comecei...


Só me dizer a todos os que passaram por aqui, especialmente aos que comentaram, o meu MUITO OBRIGADO e desejar a todos um Feliz Natal, ainda que tardio!

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

"Longão" de domingo e treinos da semana

Essa semana dei uma maneirada nos treinos, devido à uma contusão na panturrilha, bem como a uma inflamação na garganta que durou até terça-feira. A boa notícia é que já estou bem melhor, e creio que com mais uma semana leve posso voltar progressivamente aos treinos mais fortes. Que bom que tenho uma agenda bem folgada para me preparar para a Meia.

Creio que poderia estar ainda melhor se tivesse como fazer um tratamento melhor em casa (gelo, elevação e alongamento), mas com uma criança de 3 anos querendo brincar e um recém-nascido exigindo atenção, o final de semana não tem muito sossego. Mas eu adoro tudo isso! O mais velho está impossível, super levado, mas, ao mesmo tempo, é um amigão meu e uma alegria para os pais. Eu me comunico com ele com o olhar! Que bom que eu consegui, nessa fase da vida, ter um trabalho que me permite uma boa qualidade de vida e um contato diário com a família. Em vários outros momentos isso não seria possível, pois eu chegaria em casa na hora das crianças dormirem. Semana passada o inscrevi para participar da São Silvestrinha, uma corrida infantil. Ele adora brincar de corrida, acho que vai gostar bastante.

Quanto ao grupo de amigos se preparando para a Meia Maratona, está um pouco desfalcado. Dos membros mais ativos, temos lesionados no momento o Dante, o Franklin, o Bruno e eu (acho que meu caso é o mais tranquilo). Continuam bem ativos o Borges, o Leandro e o Guilherme. Correndo por fora segue meu xará Sergio, que pensa em se integrar ao grupo brevemente, e o Michel, que está focando na natação, mas também tem vontade de entrar para o grupo.

Em termos dos treinos da semana, fiz apenas um lento no meio de semana e um de 10k ontem. Nesse último senti a panturrilha um pouco apenas nos 3 primeiros quilômetros, depois não senti mais. Procurei variar um pouco a pisada, pois a aterrisagem com o meio do pé força mais a panturrilha, e funcionou. Segui a dica do meu amigo Pete, do ótimo runblogger.com, que também procura alternar quando sente algum desconforto. Depois volto a minha forma antiga.

Treinos da semana

2ª feira: off (garganta)
3ª feira: off (garganta)
4ª feira: spinning
5ª feira: corrida Afonso Pena (leve, 42')
6ª feira: spinning
sábado: off
domingo:corrida no aterro, asfalto (10k, comecei em ritmo leve, total 1h01')

Abraço a todos e se eu não postar até lá, um FELIZ NATAL para vocês e suas famílias!

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Acreditar ou não acreditar

Aproveitando esse momento de pausa (espero que curta) de treinos, resolvi colocar aqui alguns links para estudos interessantes sobre corrida, com alguns resultados inesperados (infelizmente a maioria está em inglês, mas penso que com o Google tradutor deve dar para entender para quem não é familiar com a língua).

1. Alongamento: será que é realmente necessário? esse artigo diz que não ajuda em nada. http://well.blogs.nytimes.com/2009/11/25/phys-ed-how-necessary-is-stretching/

2. Esfriar depois da corrida: de novo, será que é realmente necessário? outro artigo que questiona: http://www.nytimes.com/2009/10/15/health/nutrition/15best.html?_r=1

3. Uso de tênis: http://www.dailymail.co.uk/home/moslive/article-1170253/The-painful-truth-trainers-Are-expensive-running-shoes-waste-money.html esse tema já abordei algumas vezes aqui no blog

4. Alongamento antes da corrida: artigo que questiona: http://well.blogs.nytimes.com/2010/09/01/phys-ed-does-stretching-before-running-prevent-injuries/

5. Correr no calor emagrece mais? essa acho que quase todo mundo já sabe, mas ainda vemos gente correndo de manga comprida no calor, então aqui tem uma boa explicação do porque isso não é recomendado (esse está em português): http://www.movimente-se.com/2010/07/08/correr-de-moletom-pra-emagrecer-mais-rapido-sera/

6. Antes de uma maratona, é bom beber o máximo de líquidos. Será? o estudo seguinte mostra que beber líquido demais pode ser tão perigoso quanto beber pouco líquido: http://www.runnersworld.com/article/0,7120,s6-242-302--8785-0,00.html

Cada um decide no que acreditar, mas é interessante conhecer esses estudos para se orientar.

domingo, 12 de dezembro de 2010

Domingo sem treino

Pois é, a garganta não melhorou, piorou até e, para completar, senti a panturrilha após o treino de sexta. Conclusão: domingo sem longão. Como está sendo difícil...

Tomei remédio para a garganta, e estou me sentindo melhor agora. Acho que não vai mais atrapalhar. Só não sei a panturrilha. Depois de todas as dificuldades para fazer a transição da pisada primeiro com o calcanhar para uma pisada mais "natural" pisando primeiro com o meio do pé, faltava sentir a panturrilha. Ela já vinha dando sinais, com uma dor que vinha lentamente aumentando, mas depois de sexta (quando fiz o treino intervalado mais forte até hoje) achei que realmente tenho que dar uma parada, senão pode piorar muito. Ontem dei um trote de brincadeira com meu filho e vi que ela está lá. Estou fazendo tratamento conservador, com gelo e elevação (sem antiinflamatório por enquanto).

Acho que sei a origem dessa dor e onde errei. Ao fazer a transição que fiz da pisada, um dos locais onde mais se força é a panturrilha. Assim, era altamente recomendável fazer um reforço muscular dessa região. Só que eu abandonei a musculação por dificuldade de horário, já que estava com apenas uma manhã livre por semana, e o reforço muscular exige pelo menos dois dias. Tenho que voltar à ela assim que puder.

O caminho da transição para mim é sem volta. Sinto minha perna muito mais forte, meus músculos mais desenvolvidos, zero de desconforto no joelho ou qualquer outra articulação, enfim, sinto que está sendo bom. Mas, como toda transição, tem seus percalços. No início tive uma dor bem comum no alto do pé, mas que não precisei parar os treinos... acho que a diferença é que naquela época estava fazendo a musculação.

Mas uma coisa que já me acostumei é aos amigos se espantarem ao olharem para meus pés ao fim das corridas. Como disse um deles: "- não sei em que posição você chegou, mas te garanto que foi o primeiro colocado com Conga". Os mais antigos devem se lembrar desse tênis. Ri muito.

Acho que pelo menos o spinning consigo continuar, mas vamos quando consigo voltar à corrida. Minha expectativa é que seja coisa para 1 ou 2 semanas.

Resumo da semana:

2ª feira: spinning
3ª feira: treino no asfalto (Maracanã) - 6' aquec + 6 séries (3'45" com esforço forte + 1'15" com trote) + 5' desaquec
4ª feira: off
5ª feira: spinning
6ª feira: treino no asfalto (Maracanã) - 6' aquec + 11 séries (2' com esforço muito forte + 1' trote) + 5' desaquec
sábado: off
domingo: off

É isso gente, faz parte. Cada vez me conhecendo mais. A corrida, assim como a vida, é uma prova de resistência e perseverança.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Corrida por frequência cardíaca e esforço

Até então eu vinha fazendo meus treinos durante a semana na esteira, o que permite controlar a velocidade e o tempo de cada esforço. Era basicamente um treino de ritmo, fazendo 6 séries longas de 3'45" em uma velocidade maior (5'/km), com 1'15" a uma velocidade baixa, além de aquecimento e desaquecimento. Esses treinos eram completados por um treino longo no domingo.

Esta semana, entrentanto, iniciei uma nova fase, passando a fazer os treinos semanais também na rua. A ideia é fazer um de ritmo, parecido com o da esteira, e um mais forte, com intervalos mais intensos e curtos. Hoje foi o dia desse treino. Fiz 11 séries de 2 minutos fortes, alternando com 1 fraco. Foi sensacional! Como não tenho GPS, corri apenas pela sensação de esforço e frequência cardíaca medida pelo frequencímetro, sem saber a velocidade que estava alcançando. Consegui atingir uma frequência cardíaca bem forte, e o treino foi mais intenso do que vinha sendo na esteira, o que era minha intenção. Sempre achei que fazer um treino intervalado desses na rua era chato, mas, pelo contrário, foi muito bom!

A lamentar apenas o fato de não estar sendo possível dar a volta no Maracanã, onde fui correr, pois está em obras para a Copa do Mundo. Assim, estamos tendo que dar uma volta maior, passando em um local com piso bem irregular. Ainda bem que é uma parte pequena. Eu só espero que as obras ali não fechem a ciclovia de vez (alô autoridades!).

Estou sentindo bastante a garganta, desde ontem. Espero que melhore a tempo do longão de domingo, quando pretendo, pela primeira vez, ultrapassar os 12k.

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Relato de prova: Corrida das Estações 10k

Hoje, quero dizer, ontem, já que esse post vai ao ar apenas amanhã, segunda-feira, corri a Corrida das Estações Adidas, Etapa Verão, fazendo minha estréia de prova na distância de 10k.

Foi ótimo! Tinha uma meta de fazer em 57' e fiz em 56'58", com pace de 5'41", uma baita evolução. Passei os 5k em 29'45". Acho que a previsão estava bem realista. Não amenizei os treinos com objetivo de melhorar a performance dessa prova, já que considero ela apenas uma etapa da preparação para a meia, que é o grande objetivo no momento. Fiquei bastante feliz com o pace, principalmente para o calor que estava.

Corri com três amigos que se preparam para a Meia comigo. O Borges voou na frente, já que ele estava com meta de 46'. O Guilherme eu só vi ao final, pois chegou atrasado, mas fez ótimo tempo. Ele está muito feliz, até porque perdeu recentemente mais de 15 quilos. Corri junto ao Franklin, que não conseguiu se inscrever a tempo e correu de pipoca (como não foi proposital acho que está justificado, né?). Embora ele seja mais rápido correu comigo até o 7 ou 8k, quando fez um sprint e chegou quase 2 minutos na minha frente. A turma está motivada com a preparação para a meia!

Fez muito calor. O sol não foi encoberto nem por um momento. Eu vi um corredor chamando o Raul e um colega que chegou depois disse que viu 3 corredores passando mal (desmaiando). Curiosamente, entretanto, dessa vez não senti tanto o calor quanto na semana passada, e me senti melhor durante e, principalmente, após o fim da prova. As diferenças foram que dormi bem melhor e comi um pouco mais pela manhã ao acordar (lembrei agora, comi também uma barra pequena de proteína após a chegada). Espero ter adotado uma boa estratégia.

Quanto à principal reclamação de quem corre essa prova, que é o gigantismo, não me atrapalhou. Como não acredito no benefício do alongamento antes da corrida (está cheio de artigos científicos mostrando que pode ser até prejudicial), aproveitei enquanto o locutor puxava o alongamento da galera e me dirigi ao local da largada. Isso fez com que tenha conseguido uma ótima posição, o que me permitiu correr sem ter que fazer muito zig-zag. Mas a largada por ritmo não funcionou, pelo que sei (novidade...).

Estreei, nessa prova, uma bermuda de compressão, que achei sensacional. Foi uma dica do Xampa. Sei que não se deve testar nada em dia de prova, mas como tinha ficado todo ralado do treino de sexta-feira, resolvi antecipar a estréia, e foi ótima idéia. O único problema é que só tenho uma bermuda, que pretendo deixar para o longão, e não tenho opção por hora para os treinos durante a semana :-( vou abusar da vaselina enquanto não compro outras bermudas.

Achei a prova muito bem organizada, exceção talvez a largada por ritmo. Pontualidade britânica, bons kits pré e pós prova, boa hidratação, enfim, nenhuma reclamação. Ah, sim, acho que as placas de quilômetros estavam erradas. Tenho certeza, por exemplo, que o último quilômetro teve mais do que isso. Meus amigos compartilharam a mesma opinião. Será que há alguma prova em que as placas fiquem no lugar certo?

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Ansiedade pré-prova

Confesso que estou ansioso em relação à prova de domingo, ainda mais depois do que passei após a prova de domingo passado. O calor aqui no RJ está "de matar", com uma sensação térmica muito superior àquela marcada pelo cronômetro. A prova é às 8:00h. Vou procurar me hidratar bastante e me alimentar um pouco melhor. O que está me preocupando é que a agenda de sábado será cheia de eventos sociais. Mas vamos lá, prova é para se divertir! Estou indo com meta de 57' para os 10k mas como essa prova é muito cheia, não sei se vou conseguir encaixar a velocidade que pretendo.

Mudando de assunto, outro dia vi uma iniciativa legal, de mudar o nome da Meia-Maratona para Pikermi. O objetivo é acabar com a história que a prova é metade de alguma coisa, dando ideia de algo incompleto. Uma meia já é um esforço e tanto, e, para muitos, já é um fim em si só. Por que Pikermi? porque é a cidade que fica no meio do caminho entre Maratona e Atenas. Tem até um site, que, inclusive, vende camisas que suportam a ideia. Acho que, entre o público que não conhece corrida, a maioria deve achar que uma São Silvestre é mais longa que uma meia-maratona. Realmente o marketing desse nome é bem ruim. Apoio a iniciativa!

Ano que vem teremos um novo circuito de Pikermis :-) , da Asics, o Golden Four. Serão quatro provas, com largada às 7:00h (!!) e foco em performance. A do RJ está planejada para junho. É uma alternativa à prova que nosso grupo pretende fazer, em julho. Se bem que há pessoas no grupo que estão pensando em fazer a de Maio, que irá atravessar a Ponte Rio-Niterói. Vamos ter que decidir! Que bom que temos várias opções!

No início desta semana peguei uma virose que me tirou o treino de terça-feira, que seria de spinning (segunda seria off de qualquer jeito). Na quarta-feira, entrentanto, já estava melhor e consegui manter os treinos de corrida da semana.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Relato de Prova: Faz um 21, em dupla



Ontem foi dia da prova Faz um 21, em Niterói. Com a Zona Norte do Rio de Janeiro ainda em guerra, fui eu para Niterói minutos antes da invasão da Favela do Alemão, pelas forças de paz.

A prova estava marcada para às 8:21h, mas eu dormi mal, ansioso, e "acordei" pela última vez por volta das 6:05h. Curioso que eu achei que nem estava tão preocupado, mas não adianta, é impossível dormir bem em véspera de prova. A prova era de 10,5k, mas corrida em dupla sem revezamento, ou seja, os dois atletas faziam o mesmo percurso e o tempo era somado.

O calor era muito forte, mas a hidratação, ainda bem, foi adequada. Apenas em um posto, dos 5, senti a água quente. Nos demais estava gelada. Não havia isotônico, o que eu acho normal para uma corrida desta distância. Em cada posto usei a estratégia de pegar dois copos, tomava metade de um e jogava boa parte do restante na cabeça. Acho que esse ponto funcionou bem e, ainda que tenha sentido o calor, consegui manter a temperatura corporal dentro do razoável. O tênis não chegou a encharcar.

Fiz o tempo de 1h1'24", com pace médio de 5'50", dentro do que eu esperava para o percurso. O trecho tinha duas subidas, a primeira bem forte. As pessoas com quem conversei acharam a prova bem difícil. O colega de dupla fez tempo parecido, foi 17 segundos mais rápido, e chegamos 115º em um total de 190º duplas masculinas. Isso pelo tempo líquido, porque o site divulgou tudo pelo tempo bruto, o que eu acho injusto.

Um problema foi que me senti muito fraco após a corrida, algo que não costuma acontecer nos meus treinos que, às vezes, são até mais longos. Só me recuperei após dormir no meio da tarde. Devo ter feito uma hipoglicemia devido à alimentação inadequada. A questão é que comparado aos meus treinos, a diferença entre o horário em que acordei e o fim da prova foi bem maior (normalmente são 2 horas, desta vez foram 3 horas e quinze minutos) e, além disso, o calor era bem maior que o que estava acostumado e eu tinha dormido mal, gastando muito mais caloria durante a noite. Sem falar que na noite anterior também não havia comido muito. Pela manhã, comi um sanduíche de um pão de forma integral cortado ao meio com queijo minas, um copo pequeno de suco e uma pera. Momentos antes da largada comi mais 4 biscoitos maizena que havia levado e uma paçoca pequena. Não comi nada durante a prova. Após a prova comi uma maça, duas bananas pequenas e uma barra de cereal. Parece razoável, mas não funcionou. Provavelmente a questão da noite e madrugada tiveram seu peso.

A semana de treinos foi como planejada, não reduzi para a prova:

2ª feira: spinning
3ª feira: treino na esteira - 8' aquec + 6 séries (3'45" a 5'/km + 1'15" a 6'40"/km) + 5' desaquec
4ª feira: off
5ª feira: spinning
6ª feira: treino na esteira - 8' aquec + 6 séries (3'45" a 5'/km + 1'15" min a 6'40"/km) + 5' desaquec
sábado: off
domingo: 10,5K em 1h01'24" (Niterói, asfalto, prova)

No próximo domingo tem o Circuito das Estações, onde vou correr os 10k.

domingo, 21 de novembro de 2010

Fome nunca mais!

Hoje cometi um dos principais erros desde que voltei a treinar. Não me alimentei direito antes nem durante o longão e corri com fome desde os 20 minutos. Mesmo assim, consegui correr o que me propus, 11,5k, que completei em 1h06'44". Deu um pace de 5'48", exatamente o mesmo da última corrida na Lagoa, há 3 semanas. A diferença é que dessa vez corri 2 k a mais. Sigo satisfeito com a evolução! Na escala de corredor feliz já estou no 4.7!

Voltando ao tema da fome, nunca mais. É muito ruim. O que aconteceu é que sempre como um sanduíche de pão de forma integral com queijo minas, mais um fruta antes do longão. Dessa vez esqueci de comer a fruta. Além disso, ontem (sábado) não havia comido muito carboidrato (normalmente como uma pizza à noite), pois estou de dieta e aí estava com mais fome que o normal. Estou ciente do risco que corri, até pelo calor que acabou aparecendo. A combinação dieta x treinos tem que ser feita com muito cuidado. Mas, pela manhã foi esquecimento mesmo. Não tinha nem como parar para comprar alguma coisa, já que não havia carregado dinheiro. Quando terminei comprei um coco com bastante água e bastante "carne". Chegando em casa acabei de me hidratar e alimentar. Ficam duas lições: preciso comer direito antes do treino e devo definitivamente começar a me preocupar em comer algo durante o treino.

Os treinos da semana foram como usual, evoluindo. Segue o resumo:

2ª feira: off
3ª feira: spinning
4ª feira: treino na esteira - 8' aquec + 6 séries (3'30" a 5'/km + 1'30" a 6'40"/km) + 5' desaquec
5ª feira: spinning
6ª feira: treino na esteira - 8' aquec + 6 séries (3'45" a 5'/km + 1'15" min a 6'40"/km) + 5' desaquec
sábado: off
domingo: 11,5K em 1h06'44" (lagoa, asfalto)

Meu pace por km:


1 km                5'         48"
2 km                5'         38"
3 km                5'         37"
4 km                5'         40"
5 km                5'         46"
6 km                5'         50"
7 km                5'         50"
8 km                6'         02"
9 km                5'         40"
10 km              6'         02"
11 km              5'         54"
11,5 km           6'         04"
Média              5'         48"

Minha conclusão do pace é que é conveniente começar mais devagar para conseguir manter uma velocidade mais constante. O batimento cardíaco ficou bem controlado.

Nas próximas duas semanas tenho provas aos domingos, então vou dar uma respirada no ritmo e na evolução.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

As montanhas de Minas



Domingo foi dia de longão. Foi um treino sensacional nas montanhas de Muriaé, zona da mata mineira. Fiz um circuito perto da casa da minha sogra de 2.15km (http://www.mapmyrun.com/route/br/muria%e9/950128991352931137 só fica direito quando se vê no modo satélite, não me pergunte porque). Aí acabei dando 5 voltas, em um total de 10,75k. O tempo total foi de 1h07'. Gostei muito porque basicamente a metade da volta era descida, e depois era subida, chegando a 4% de inclinação. Acho que sou como minha amiga Elis, gosto de subidas e descidas. O melhor de tudo foi que, exceção daquela dorzinha básica (boa) na panturrilha no dia seguinte, não tive mais nada. Hoje já estou zerado.

Estava tão ansioso que acordei às 6:30h, e acabei começando a correr às 7:15h. Não era necessário começar tão cedo, pois não havia sol. De qualquer jeito, achei bom porque a chance de chuva forte, que acabou não caindo, era grande.

Experimentei deixar, inspirado novamente na Elis, uma garrafa de gatorade para hidratação, não na caixa de correio (não tem :-( mas em um lugar escondido por dentro da grade da casa. Assim, a partir da segunda volta, a cada uma eu parava para me hidratar um pouco. Confesso que não gostei muito de ter de parar para isso, acho que vou preferir levar algo comigo de agora em diante.

Esse treino coroou mais uma semana ótima de treinos. Consegui fazer as 2 vezes de spinning, mais três de corrida. Ainda não consegui incluir a musculação no treino. De qualquer jeito, notei que o rendimento do treino de ritmo já foi bem melhor. Quanto ao longão, é difícil dizer, porque não tinha muito parâmetro. Já havia corrido uma vez por ali, mas em circuito diferente e em um treino mais curto.

Como havia dito no post anterior, já me inscrevi no Circuito das Estações (10k) e hoje pretendo me inscrever na prova Faz um 21 de Niterói (10.5k).

A programação da semana foi a seguinte:

2ª feira: off
3ª feira: spinning
4ª feira: treino na esteira - 8' aquec + 5 séries (3'30" a 5'/km + 1'30" min a 6'40"/km) + 5' desaquec
5ª feira: spinning
6ª feira: treino na esteira - 8' aquec + 6 séries (3'30" a 5'/km + 1'30" min a 6'40"/km) + 5' desaquec
sábado: off
domingo: 10,6K em 1h07' (Muriaé, asfalto)

Obs tenho preferido fazer os treinos de ritmo durante a semana na esteira. Acho mais fácil controlar a velocidade, e o impacto é menor. Como tem dado certo, não pretendo mudar muito isso. No máximo colocar mais um treino na rua durante a semana.

Não vou incluir este longão na escala de Corredor Feliz porque ele foi realizado em ladeira :-)

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Provas, rumo dos treinos e Escala de Corredor Feliz

Normalmente não participo de muitas provas. Acho que os motivos principais são: a) minha grande motivação para treinar, b) custo das inscrições e c) criação de um compromisso, o que pode limitar eventuais saídas com a família. Bom, a consequência é que em dois anos de corrida (desde que voltei) participei só de duas provas de 6k. Muito pouco.

Competições são uma festa. Sei disso. É a ocasião de encontrar os amigos e, principalmente, de comemorar e coroar todo o seu esforço nos treinos. Por isso minha meta principal no momento é uma prova, no caso a meia de Julho de 2011.

Um problema é que não tenho referência de tempo nem experiência em provas. Na minha melhor época cheguei a fazer, em treinos, 7,5km em 38', o que daria um tempo projetado para os 10k em torno de 52', mas como não corri, não sei. Estou disposto a mudar isso, ao menos, em parte.

Estou planejando duas corridas de 10k brevemente. O Circuito das Estações Verão (dia 5/12, seguinte ao meu aniversário) e a Corrida em dupla Faz um 21 em Niterói (dia 28/11) convite de um amigo niteroiense, claro. Assim, vou pelo menos ganhar uma referência de performance.

Assim, vou focar nos 10k nessas próximas 3 semanas, para depois voltar a aumentar a distância buscando a preparação para o objetivo principal do ano que vem.

Resolvi criar uma escala para saber como estou na evolução dos treinamentos. É coisa de engenheiro, mas é simples. Meu plano de prova é fazer 21 km, com um pace de 5'/km. Assim eu divido um número pelo outro e tenho um valor que não quer dizer rigorosamente nada, mas é igual a 4,2. O passo seguinte é fazer a mesma coisa com os dados do meu último longão (não serve para outros tipos de treino). No caso rodei 10 km, com um pace de 5,9'/km, o que dividindo dá 1,7. Então estou em 1,7, de uma escala que prentendo chegar de 4,2, ou 40% do meu objetivo. Para chegar a uma escala de 0 a 10 estou em 4. Isso vai me ajudar a acompanhar o progresso. Vou chamar de Escala de corredor feliz :-) Meu objetivo é chegar a 10, mas se chegar a 7 já dá para fazer bem a prova.

É importante ressaltar, como lembrou meu amigo Xampa, que para chegar a fazer uma meia-maratona a 5'/km é necessário fazer os 10k mais rápido que isso. Por isso é importante que a escala acima é uma simplificação que só serve para o longão do fim de semana. Ou seja, para eu fazer a meia maratona na velocidade que desejo, deverei fazer treinos mais curtos durante a semana bem mais rápido que isso. O meu estágio atual de longão é 10k, por isso meu ponto atual está nessa distância.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

A primeira vez a gente não esquece

Ontem realizei, com meu amigo Franklin, meu primeiro treino de 10k, como parte da programação para a meia do ano que vem. Foi um ótimo treino, e fechamos em 59'03". Mais uma vez a temperatura me surpreendeu e, apesar de toda a chuva do sábado, estava um calor forte no horário em que corremos (8h às 9h). Completar 10k é um primeiro marco atingido e fiquei muito feliz com o que conseguimos. Já houve época em que eu estava bem condicionado e poderia correr 10k, mas nunca havia feito. Embora o tempo fosse o menos importante, tínhamos, no fundo, aquele vontade de fazer sub 1h, o que foi conseguido e sem sprint no final! O melhor de tudo é que continuo correndo bem com meu tênis minimalista e as dores tem sido evitadas.

Cada vez mais eu concordo com meu amigo Pete, do excelente blog http://www.runblogger.com. É muito bom variar o tipo de terreno e de tênis e prestar muita atenção na forma de correr. O jeito com que corro atualmente, pisando com o meio do pé e dando mais de 90 passos por minuto (contando uma perna só ou 180 contando as duas) tem fortalecido bastante meu tornozelo e panturrilha. Eu sinto isso. Creio que poderá reduzir minhas contusões. Creio também que as corridas na esteira são uma boa alternativa. Sempre penso que fraturas por estresse, que muito acometem os corredores, são causadas por movimentos repetitivos executados da mesma maneira. Assim, variar é bom.

A programação da semana foi a seguinte:

2ª feira: spinning
3ª feira: treino no cimento - 8' aquec + 5 séries (3'20" a 5'/km + 1'45" min a 6'40"/km) + 5' desaquec
4ª feira: off
5ª feira: spinning
6ª feira: treino na esteira - 8' aquec + 5 séries (3'30" a 5'/km + 1'30" min a 6'40"/km) + 5' desaquec
sábado: off
domingo: 10K em 59'03" (aterro, asfalto)

Eu continuo achando mais fácil fazer treinos intervalados na esteira que na rua. Além de me obrigar a ficar na velocidade correta, fica mais fácil fazer as transições no tempo certo. Na rua não consigo manter o mesmo ritmo nas voltas finais, acabo dando uma "roubada". Talvez seja uma questão de adaptação.

A evolução do grupo de corrida tem sido tão boa que já estamos pensando em antecipar a meta inicial de correr a 1ª prova de 10k em janeiro para correr logo agora. O melhor é que estamos fazendo aos poucos, aumentando 500 metros por semana no longão. Se tudo continuar correndo tão bem é possível que possamos fazer a meia da Ponte Rio-Niterói, prevista para maio, dois meses antes da meia original imaginada. Mas essa é só a ideia, vamos seguir devagar e sempre.

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Treinos da semana e longão

A semana passada foi excelente em termos de treinos, e foi concluída com um longão na Lagoa, na companhia dos amigos do Desafio da Meia Maratona em 2011.

Programação realizada:
2ª feira: spinning
3ª feira: treino na esteira - 10' aquec + 4 séries (3 min a 5'/km + 2 min a 6'40"/km) + 5' desaquec
4ª feira: off
5ª feira: spinning
6ª feira: treino na esteira - 8' aquec + 5 séries (3'15" a 5'/km + 1'45" min a 6'40"/km) + 5' desaquec
sábado: off
domingo: 9,5K em 55' (lagoa, asfalto)

Tenho realizado os treinos semanais na esteira devido a obras no local onde normalmente treino (época de eleição, né), bem como para evitar um pouco o impacto do asfalto nas articulações nessa fase e tem funcionado bem! O uso do tênis minimalista combinado com a rotina acima tem evitado maiores problemas.

Quanto ao longão, não me senti tão bem quanto na semana anterior, devido ao calor. A meteorologia me pregou uma peça, errando a previsão. Começamos a corrida às 8:05h, terminando às 9:00h. Os termômetros, essa hora, marcavam 31° C, com sol inclemente. Eu definitivamente não me dou bem com o calor. Para completar, devido à eleição, as barraquinhas de coco ainda não estavam abertas ao fim do treino e eu achei que ia ter uma desidratação pesada. Acabei esperando um pouco e elas finalmente abriram. Acho que foi a melhor água de coco que já tomei.

Em relação ao rendimento, foi superior ao da semana passada, pois completei 500 metros a mais em apenas mais 1 minuto. Pela primeira vez desde que voltei da contusão do primeiro semestre, o pace ficou abaixo de 6', em exatos 5'48" por km!

Meu plano era correr para 5'45". Mas estava me sentindo tão bem que fiz os primeiros dois kms fiz na faixa de 5'30"/km. Achei que daria para manter essa velocidade até o final.  Mas essa velocidade acima do previsto, somada ao calor, acabou cobrando seu preço. A partir daí, comecei a sentir, até porque coincidiu com um trecho onde o sol bate direto, e vi que meu batimento cardíaco estava acima do previsto, por isso reduzi a velocidade. Comecei a girar a 5'45", que era minha idéia inicial. Terminei o treino em uma faixa de 6'. Não me matei, mas senti que, devido à temperatura, devia ter reprogramado minha velocidade do treino, além de não exagerar no início. Fica como lição para a próxima vez.

O grupo está heterogêneo, pois tem um colega correndo 10k abaixo de 50', mas é essa a ideia. Meu amigo Franklin foi até agora em todos os treinos coletivos e correu desta vez ao meu lado, completando junto. Está muito boa essa ideia do grupo de corrida. Há mais gente querendo entrar. Só não conseguimos criar ainda um nome. Está faltando criatividade! Se alguém tiver uma ideia e quiser colaborar, ponha ali nos comentários... seremos eternamente gratos!

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Evolução

No gráfico acima consigo ter uma ideia da evolução dos treinos. Estou muito feliz! Sendo que os dias 26/09 e 10/10 foram corridos na Lagoa sem calor e os outros dois na ciclovia do Aterro, que eu considero mais desafiador, com algumas subidas e descidas. O mais importante é não me empolgar muito! Calma, Sergio, devagar e sempre se chega longe. A meta maior é chegar aos 90 anos correndo. Vamos lá! Fica fácil ver pelos gráficos que mais ou menos no meio do ano que vem estarei correndo uma maratona para cerca de 2h, próximo ao recorde mundial. Haile, me aguarde!! Brincadeira he he. Mas vou tentar acompanhar esse gráfico a cada 4 semanas, para ir vendo a evolução do longão.

Treinos da semana e longão de domingo

Na semana passada consegui treinar como planejado. O único contratempo foi uma gripe que começou na terça e foi até sexta. Para que ela não piorasse, resolvi abortar minha ideia de iniciar o cross-training. Funcionou, ela não foi muito para frente. Agora o plano é iniciar o cross amanhã, com uma aula de spinning.

Corri na 3ª, 5ª e sábado. Terça e quinta corri na esteira, devido ao mau tempo, já que estava em princípio de gripe como disse. No primeiro dia fiz um treino tipo "Ritmo", correndo a 5 min/km por 3 minutos, depois correndo a 7'30" por 2 minutos. A velocidade de 5 min/km é minha ideia para a meia maratona do ano que vem. Na quinta fiz uma espécie de "fartlek" light, alternando bastante a velocidade. Ainda fiz sem forçar muito, para deixar o corpo voltar a se acostumar com esses tipos de estímulo.

Sábado foi dia de longão, com a equipe que está se preparando para a meia. Aumentamos a distância, de 8,5k para 9k e dessa vez conseguimos começar a correr às 8:00h. Me senti muito melhor, até porque o calor estava bem menor. Completei a distância nos mesmos 54 minutos que havia feito 500 metros a menos da última vez. Desta vez sem maiores dificuldades. A evolução está sendo visível! Corremos novamente no Aterro.

Abraço a todos e vamos correr!

domingo, 17 de outubro de 2010

Treino no Aterro: calor e vídeo

Hoje treinamos no Aterro. Coloquei um vídeo curto ao lado. A turma "chorou" e acabamos marcando o treino para às 8:30h que, como hoje começava o horário de verão, correspondia a um sol de 7:30h. Foi o treino com mais gente até agora, quatro. Sinto que o grupo cresce cada vez mais.

Gostei muito do local, na ciclovia do Aterro, onde nunca havia corrido. Na pista principal, que estava fechada ao trânsito, como todos os domingos, estava havendo uma competição de Triathlon na qual, inclusive, meu amigo Xampa participou (não o encontrei).

Senti muito o calor e o cansaço do sábado, e houve uma piora no rendimento em relação à semana passada. Mas, ainda assim, valeu. Aumentamos a distância para 8,6k, que fiz em 54'12". Há 3 semanas havíamos corrido 7.5k, e na semana passada 8.1k. Se na semana passada o pace médio foi de 6'12"/km, desta vez foi 6'18". Mais do que isso, senti realmente que estava pior. Acontece. Nesta semana, com a volta do spinning e da musculação, tenho certeza que a performance vai melhorando.

Acho que esse foi o treino mais longo de tempo que já fiz. Cheguei a sentir falta de uma hidratação. Aumentando cada vez a distância, terei que me preocupar com isso.

Já não sinto mais qualquer incômodo na coluna, ainda bem que não interrompi os treinos por conta dela. Na verdade, a corrida nunca me incomodou essa parte do corpo. Mais uma vez, consegui fazer todos os treinos planejados da semana.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Vídeo da corrida na Quinta da Boa Vista

Hoje foi dia de um treino feliz de corrida na Quinta da Boa Vista. Imitei meu amigo Jorge Ultramaratonista e filmei uns pedaços. Estão aí na barra da direita. Vários erros, de quem é um amador. Espero que os próximos fiquem melhor, inclusive a definição.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Herbert Vianna e treinos da semana

Sábado acabou sendo um dia meio diferente, por conta de um fato inusitado. Fui ao shopping com a família, programa normal, quer dizer, mais ou menos quando se tem um filho de 2 anos e outro de 2 meses. Bom, mas estava tudo dentro do esperado. Eis que, de repente, cruzo com o Herbert Vianna, Paralamas do Sucesso, com um ajudante andando pelo shopping. Até aí também nada muito raro, afinal no Rio de Janeiro e, particularmente, na Barra da Tijuca é muito comum encontrarmos artistas. O povo, inclusive, dá umas olhadas mas nem costuma assediar. O inusitado foi que uns 30 minutos depois vejo que havia alguém tocando um violão nos fundos de uma loja de colchões e, sim, era o próprio, e uns 10 gatos-pingados assistindo. Entrei na loja com meu filho. Ele tocou um The Police, depois Imagine (John Lennon), uma do Kid Abelha e aí pediu para uma moça que tinha acabado de entrar para escolher a saideira. Ela ficou tão boquiaberta que deu um branco. Aí eu pedi para ele tocar "Óculos" e não é que ele tocou? Depois ainda tocou mais umas 3 músicas do Paralamas e encerrou o show particular. O pessoal que passava pelo Shopping de longe não conseguia ver quem estava tocando, e ao final havia não mais que 15 pessoas assistindo. Ao me lembrar da minha adolescência e do quanto ouvi essas músicas, nunca imaginei que ia ver um show improvisado e ainda pedir uma música a ele. O cara é muito gente boa. A dona falou que ele comprou um colchão e depois começou o show.

Domingo fui correr com a equipe da Meia Maratona. Desta vez demos a volta na Lagoa (7,5k) e completamos com mais 600 metros, para ir aumentando a distância aos poucos. Acabamos correndo um pouco mais rápido também. Fizemos os 7,5k em 46'29" e fechando o treino em 50'15". Estamos progredindo! Consegui fazer todos os treinos programados para a semana passada (3x). A coluna segue melhor, mas ainda não 100%, por isso ainda não comecei o cross training com o spinning.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Corrida de revezamento na esteira: avaliação

Ontem participei de uma competição diferente. Foi uma corrida de revezamento de 10k na esteira da academia em que frequento. Participaram 8 equipes, cada uma com 3 competidores. Foi uma experiência muito legal!

A prova funcionava em 3 etapas, duas de 2,5k e uma de 5k. Eu corri o trecho de 5k. A prova começou com um trecho de 2,5k, onde cada equipe tinha um atleta competindo. A largada de todas as equipes foi simultânea, assim dava para comparar as performances. Nessa etapa nossa corredora ficou em 2º lugar, correndo em 13'42". Um belo tempo. Depois que todas as equipes terminaram o 1º trecho, entrou em cena o 2º membro de cada equipe, para correr novamente 2,5k. Desta vez nossa equipe não ficou entre as primeiras. Por último eu entrei para correr os 5k.

Resolvi correr de forma conservadora, para fazer um split negativo. Primeiro porque estava inseguro por causa da coluna e depois porque estou meio sem parâmetro da minha performance em esteira. Depois de um trecho inicial correndo a 6'00"/k, fiz a prova em um média de 5'12" a 5'30" até o km 3,5. Aí acelerei para 5'00"e no final cheguei perto dos 4'00"/km, já com meio palmo de língua para fora. No final cheguei com 26'30", o que dá uma média de 5'20".

Minha impressão é que podia ter corrido um pouco mais rápido no início, o que teria dado um tempo final um pouco melhor. O aprendizado é que uma corrida de 5k pode ser mais sanguenosoio. Mas no geral fiquei satisfeito. Nossa equipe ficou em 5º lugar.

A inscrição custou R$10 e houve distribuição de camisa, além de contratação de fotógrafo profissional, medalhas (muito bonitas) para as 3 primeiras equipes e mesa de frutas ao final. O clima foi muito legal, com as equipes se incentivando mas sem um clima pesado de competição. Foi minha primeira experiência de corrida em equipe, posso dizer que gostei muito. As meninas que correram comigo foram 10! Na foto aparecemos nós 3 (mas as esteiras não foram aquelas, foram umas maiores que ficam atrás). Os primeiros lugares estavam, realmente, muito mais preparados. Espero que venham outras!

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Chuva e treinos

Final de semana muito chuvoso, e acabou sendo cancelado o treino coletivo previsto para ontem de manhã no Aterro do Flamengo. Bom, eu fiquei debaixo das cobertas o dia todo, não treinei nem saí de casa... O pior é que fiquei o dia inteiro pensando como teria sido se tivesse tido coragem e corrido. Foi muita preguiça. NÃO! Veja abaixo o que ocorreu:

Acordei cedo, como previsto, mas realmente, depois de uma noite inteira de chuva e com muito vento, achamos melhor cancelar o treino coletivo da equipe "rumo à meia maratona". Mas eis que, após um dia de muitas brincadeiras com o mais velho, consegui sair para correr ao fim do dia, enquanto ele dormia o sono dos justos. A temperatura estava perfeita para a corrida e tive que me segurar para não acelerar mais! O bom é que a praça estava vazia, o que também facilitou. Sinto que minha performance vai melhorando aos poucos. A dor na coluna ainda permanece, mas está bem menor. Creio que esteja indo embora. Fechei a semana bem, com 3 bons treinos.

Mais um amigo se juntou à equipe, conhecido aqui do blog. Trata-se do Bruno Gelmi, que muito nos orgulha com sua participação! o time está pequeno, mas crescendo...

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Valdir Espinosa e treinos da semana

Inicialmente falo de um tema que não se relaciona com a corrida, mas com meu passado. Este aí da foto comigo e meu filho mais velho é Valdir Espinosa (me recuso a escrever Waldyr), técnico de futebol, que encontrei outro dia. Para quem não sabe, ele era o treinador do Botafogo quando este foi campeão carioca sobre o meu Flamengo após 21 anos sem títulos, em 1989.

Eu estava no Maracanã na noite em que o Botafogo derrotou o Flamengo, naquele 21 de junho de 1989. Ainda não havia descoberto as corridas, por esta época. Insistia com o futebol no qual, muito ruim de bola, era sempre dos últimos a ser escolhido para as peladas. Embora esta data não traga exatamente uma lembrança agradável, me lembro bem que não fiquei muito triste, até porque eles não eram campeões há tanto tempo...

Agora minha luta é ensinar ao meu filho que perder nem sempre é tão ruim quanto parece. Espero que ele aprenda. Outro dia fui buscá-lo na escola e ele espontaneamente me disse que tinha perdido uma corrida para um amigo mas não tinha ficado triste. Aquilo me deu grande alegria, já que nessa fase ele não aceita perder de jeito nenhum. Por mais que ele tenha falado só para me agradar, já é um começo.

Quanto à corrida, sigo com meus treinos devagar e sempre. Treinei na terça e na quinta. Na terça foi na esteira, devido à chuva. Quinta corri perto de casa. Só não tenho feito cross-training, pois outro dia peguei um peso maior e tenho sentido a coluna. E o spinning força bastante a lombar. Correndo, eu não sinto nada. Semana que vem devo voltar aos treinos como planejado.

Domingo, dia da eleição, tem treinão do Grupo rumo à meia-maratona, que permanece sem nome. Desta vez o local escolhido é o aterro, onde nunca treinei.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Toda grande conquista começa com um pequeno passo

Ontem fizemos o 1º treino do grupo de corrida voltado para a Meia Maratona do RJ de julho do ano que vem. Foi bastante animador! Fizemos uma comemoração do início, pois acreditamos estar no caminho de uma conquista importante para nossas vidas.


Desta vez estiveram presente o Franklin, o Guilherme e eu. A temperatura estava bem agradável e não chovia. Então as condições estavam muito boas para a corrida.


Corremos o tempo inteiro juntos. Demos 1 volta na Lagoa (7,5km) em um ritmo confortável para os 3. Acho que fechamos em cerca de 47 minutos (acabei ligando o cronômetro de novo por engano depois do treino acabar e perdi a marcação). Corremos a maior parte do tempo conversando, pois não tínhamos grande preocupação de performance com esse treino. Foi um treino bastante agradável.



terça-feira, 21 de setembro de 2010

Treinos na Quinta da Boa Vista e tênis

Tenho treinado na Quinta da Boa Vista, um lugar ainda pouco explorado pelo pessoal da Zona Sul do RJ, mas excelente para corrida. Lá, há opções para todos os tipos de treino, corrida em asfalto, grama, ladeira etc. No meu caso, tenho optado pela grama, pelo menor impacto. Tem sido excelente.

A Quinta da Boa Vista foi a residência dos imperadores brasileiros e, com o fim da monarquia, foi onde se reuniu a Assembleia Constituinte de 1891, que ali promulgou a 1ª Constituição Republicana. Desde então, é sede do Museu Nacional. Ali fica, ainda, o Zoológico do RJ, primeiro do Brasil. A conservação do lugar está regular, mas possui boa segurança.

Só tem um problema para mim, que é o caminho para chegar lá. A dificuldade é que, ha hora em que vou treinar, há uma multidão em caminho contrário vindo trabalhar na Tijuca. Aí o problema é passar a passarela que atravessa a Radial Oeste. Tenho que ir bem devagar, e mesmo assim não escapo de dar umas esbarradas e ouvir uma reclamações. Enfim, faz parte...

Estou já na minha 3ª semana de treinos completos e estou muito feliz com a evolução. Tenho treinado mais preocupado com a forma que com o relógio, e tem sido muito bom. Sinto que a nova forma de correr força mais a panturrilha, mas menos as articulações. Como minha capacidade cardiorespiratória aos poucos vai voltando, até pelo complemento do spinning, tenho que me segurar para não correr as ladeiras que tem por lá ou então muito rápido. Cada coisa na sua hora.

Abandonei o Ipod e o Nike Plus. Não sei se é definitivo, mas não preciso de música para curtir a corrida. E o sistema Nike Plus é tão impreciso que realmente me desanima. Ainda não decidi o que fazer com meus tênis Nike Vomero. Tenho 1 na embalagem e 1 com pouquíssimo uso (corri 5 ou 6 vezes com ele). Realmente não consigo mais correr com eles. Ficarei feliz com sugestões dos meus poucos mas fiéis amigos que passam por aqui :-)

Como disse antes, formei um grupo de corrida para a Meia do RJ em julho de 2011, mas a primeira meta é Corrida de São Sebastião, com 10 km, em janeiro.

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Equipe de Corrida - Rumo à Meia!!

Galera, agora que os bons tempos voltaram e já estou na minha 3ª semana de treinos sem sentir nada, me animei e coloquei em prática uma ideia que tive há algum tempo. Formei um grupo com amigos e vamos treinar juntos para a Meia Maratona do RJ, de Julho.

Para isso reservei um endereço o meiamaratonaem2011.blogspot.com, e vamos fazer um blog coletivo, relatando nosso progresso. Colocaremos também planilhas de treinamento. Por enquanto já somos 6 que aderiram à causa (UPDATE: já somos 9!), mas espero que outros se identifiquem. Estamos abertos a novos integrantes, basta ter vontade. Não custa nada. Teremos planilhas genéricas de treinamento (iniciante e intermediário), mas a utilização delas é por conta e risco de cada um. Recomendamos as visitas de praxe a médico e nutricionista. Temos vontade de fazer uma camisa comemorativa quando chegar próximo, vamos ver.

Será um baita desafio, onde o principal será que ninguém se machuque e todos tenham prazer com o caminho a ser percorrido. Faremos um treino, aos domingos, na Zona Sul do Rio de Janeiro onde o pessoal se encontre. Mas quem não puder comparecer não tem problema.

Para mim será uma baita oportunidade. Até agora tudo que completei foram duas corridas de 6km e uma de 5km, embora tenha fôlego para correr bem uns 10km. Preciso de muita rodagem...

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Nada a ver com corrida, mas me emocionou

Hoje li uma reportagem que realmente me mostrou que ainda há uma luz no fim do túnel quando falamos de violência. Não tem nenhuma relação com corrida, mas não queria deixar de colocar o link aqui.

O Rio de Janeiro já passou por anos de desgoverno, tivemos 8 anos de Brizola e 8 do casal Garotinho. No governo do primeiro, o lema era que a "polícia não sobe morro".

Depois de muito tempo, vejo, na iniciativa das UPPs, ao menos uma iniciativa bem sucedida de reduzir a violência nessa cidade. Sei que não é a solução definitiva. Sinceramente, enquanto as drogras forem permitidas e houver gente consumindo, haverá violência. Mas a implantação das UPPs está ao menos tirando algumas pessoas do tráfico em algumas comunidades, o que não é pouca coisa.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Treinos da semana

A semana passada foi boa em relação aos treinos. Estou feliz porque estou conseguindo treinar bem, o que para mim significa, no momento, sem dor. Corri 3x e fiz spinning outras 2x. Só não consegui encaixar a musculação.

Agora estou meio na dúvida de como fazer as 3 coisas: corrida, spinning e musculação. Com dois filhos em casa, não consigo treinar em 2 períodos. Estou tendendo a combinar a musculação com o spinning e corrida, mas para isso terei que acordar ainda mais cedo e, consequentemente, dormir também mais cedo. Além disso, a eficácia do treino ficará prejudicada. Mas fazer o quê, algo tem que ser prejudicado.

Quanto ao tênis para a corrida, adotei realmente meu tênis minimalista. Cheguei a conclusão que o Vomero, ainda que pise com o meio do pé, me causa dores no calcanhar semelhantes à fascite. Com esse tênis, sinto mais a panturrilha no dia seguinte, o que é um bom sinal. Espero que isso esteja relacionado ao menor impacto nos joelhos e quadris. Estou me testando e aprendendo.

Estou procurando correr sem pressão de ritmo. Apenas ganhando rodagem e acostumando meu corpo. No geral isso tem significado treinos de cerca de 40 minutos, em um ritmo moderado. Ontem a maior parte do treino foi feita na grama.

Com a complementação do spinning, me sinto muito bem em termos de capacidade aeróbica. Sinto que esse segundo semestre será muito bom e me preparará para o ano que vem.

Só falta ganhar a batalha com a balança. Gostaria de perder uns 3 kgs, para ficar com peso mais perto do ideal. Mas, de um ano para cá, não consigo. Tenho basicamente mantido o peso. Também não está muito ruim, já que estou mais de 7 kg mais magro que quando comecei a correr mas, gostaria de perder esse peso a mais. O difícil é me livrar das exceções de fim (e, às vezes, meio) de semana...

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Viagem

Pessoal, esta semana sem postar foi culpa de uma viagem que fiz para um casamento em Muriaé, MG. Essa é uma cidade agradável com cerca de 100.000 habitantes. A viagem foi excelente, e meu filho de 2 anos foi pajem (é assim que escreve?) do casório. Um momento inesquecível na história da minha família. Gosto muito de viajar, ainda que encarar 300km com uma criança de 2 anos e um bebê de 1 mês possa não ser das tarefas mais fáceis. A viagem é muito bonita, confesso que dirigindo me deu uma vontade danada de encarar esta estrada correndo. É que estou lendo o livro do Dean Karnazes (Ultramarathon) e estou especialmente inspirado. Depois eu posto o que achei do livro (excelente).

Quanto às corridas, consegui correr duas vezes por lá durante a semana. Além disso, fiz spinning um dia ainda antes da viagem e uma vez lá. Gosto de conhecer academias novas e foi legal a experiência. Frequentei a Espaço Corpore.

Peguei leve nas corridas, então não senti nenhum incômodo. A idéia agora será esquecer o relógio e correr devagar para adaptar meu corpo novamente.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Cross Training

Primeiro a resposta da postagem anterior. É claro que eu vou continuar, devagar e sempre, buscando melhorar minha pisada, tocando primeiro com o meio ou a frente do pé. Acredito que isso me poupará de lesões mais sérias no futuro. Essa semana eu volto aos treinos de corrida.

Sei que esse blog é sobre corrida, mas ultimamente, com todas as lesões, o que eu mais tenho me dedicado é ao Spinning, então vou falar um pouco sobre ele. Acho essa atividade excelente para melhorar o condicionamento cardio-respiratório, além de fortalecer alguns músculos que são importantes na corrida. O Spinning é quase sempre um treino intervalado, o que é excelente. Além disso, não tem impacto, então poupa um pouco os músculos e tendões mais utilizados pela corrida. Só agride um pouco mais o joelho e a coluna, então convém tomar um certo cuidado, reduzindo ao menor sinal de problemas. O bom é que nunca tive qualquer contusão fazendo spinning, o que é surpreendente com todo o meu histórico de lesões.

Alguns corredores utilizam bem o spinning como cross-training para a corrida. O Lelo, que teve sua história contada no livro do Sergio Xavier, bem como na Runners brasileira, utilizava bastante o spinning em seu treino. E já fez uma maratona para pouco mais de 2h35min. O amigo Léo Mesquita, que recentemente fez sua estréia na Maratona com um ótimo tempo de 3h20min, também utiliza o spinning.

Eu tenho feito o spinning pela manhã, antes do trabalho, 3 x por semana. Tem sido excelente.

Então é isso. Sigam correndo. Mas pensem no Spinning como Cross-Training.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Descobri a pólvora

Depois de escrever meu último post, relacionado às dores que vinha sentindo, em cima do pé (mais fraca) e principalmente no tornozelo, eis que leio o fórum da Runners americana sobre corrida descalça e descubro as 3 maiores queixas de quem começa a correr descalço: dor na parte superior do pé, no tendão de aquiles e bolhas. Eureka!

É fato que eu comecei agora a correr descalço e as dores se iniciaram há mais tempo. Mas é verdade também que eu já havia mudado minha passada, reduzindo e pisando primeiro com o meio do pé há muito mais tempo. Ou seja, muito provavelmente as dores vieram da alteração da passada sem uma adaptação adequada. Tenho quase certeza que é isso!

Tenho então, dois caminhos possíveis: ou dou uma parada para as dores melhorarem e depois volto, mas fazendo uma transição realmente lenta ou retorno à passada pisando primeiro com o calcanhar.

Advinhem qual vou escolher?

UPDATE 17/11/2010: Depois de um tempo as dores pararam. Certamente estava correto meu diagnóstico feito aí em cima. Não precisei nem parar completamente.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Atualização dos treinos

 

Não tenho grandes novidades para contar quanto aos treinos. Sigo assim, meio lá, meio cá, às vezes me sentindo maravilhosamente bem, às vezes sentindo alguns incômodos chatos.

Semana passada corri na quarta e ontem (domingo), fiz spinning e reforço muscular.

Quarta-feira corri pela primeira vez por 15 minutos descalço no playground do meu prédio e foi bom demais. Não senti nenhuma contusão, mas o ritmo foi lento. Pretendo repetir essa experiência nas próximas semanas. Depois coloquei o tênis e corri mais 28 minutos em ritmo médio.

Ontem (domingo) dei a tradicional volta na Lagoa, em pace de 6'/km completando em 45 minutos. Corri com um amigo que, coitado, me acompanhou até a metade e depois voou na minha frente. Ai que saudade da época que fazia em 38'! Voltei a sentir o tornozelo e a dor em cima do pé, que haviam me atrapalhado há algumas semanas e achei que estivesse 100%. Incomodou um pouco nos primeiros 2 kms, depois a dor foi embora. Não sei mais o que pensar dessas dores. Sinceramente. Vou seguir correndo com ritmo baixo, 2 vezes por semana para ver se elas vão embora.

Voltei a correr com o Nike Vomero, mas estou tentando reduzir o tamanho das pisadas e tocar primeiro com o meio do pé. Não sei se as dores são porque não estou conseguindo fazer isso, ou justamente porque estou fazendo isso e meu corpo não está adaptado. Simplesmente não sei.


O Spinning tem sido bem legal e me ajudado a manter o astral. Quanto ao reforço muscular, estou evitando forçar os pontos que tenho sentido as lesões, o que reduz o espectro de exercícios possíveis.

Ainda bem que a vida pessoal está boa demais, porque a moral para a corrida já esteve melhor. Pelo menos nunca mais senti a fascite. Meus objetivos com a corrida são de longo prazo, então sigo um dia de cada vez.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Estado da arte

Pois bem, nesse período em que estou devagar com as corridas, ainda que mantendo o condicionamento com Spinning e Musculação (que agora o nome politicamente correto é "reforço muscular"), resolvi colocar algo sobre as pesquisas que tenho feito em sites internacionais. O tema é corrida descalça x com tênis minimalista x com tênis tradicional. RESSALTO QUE NÃO SOU MÉDICO E QUE MINHAS OBSERVAÇÕES ABAIXO, AINDA QUE EMBASADAS EM DIVERSOS ESTUDOS E DISCUSSÕES NA INTERNET, SÃO APENAS MINHAS OPINIÕES.

O que já consegui levantar:

1) Correr descalço causa menos lesões que correr com tênis tradicionais?
Resp. Ainda é cedo para dizer com certeza. Os estudos, mesmo o da Nature, não fizeram uma análise das lesões provocadas por um método ou por outro. Do lado dos que adotaram a corrida descalça, em geral há uma descrição de redução de contusões nos joelhos e quadris. Dos que tentaram a corrida descalça, a maior reclamação é relacionada ao desconforto com as irregularidades do terreno.

2) Corro com tênis tradicionais, mas tive muitas contusões. Devo mudar para a corrida descalça ou com tênis minimalista?
Resp. Essa é uma decisão muito pessoal. O que é certo é que, caso se decida pela mudança, a transição deve ser realizada com muito cuidado. Se você está acostumado a correr 20 km de uma vez, entenda que terá que começar andando, depois com 1km, depois 2km, por aí vai. Ouça seu corpo. Lembre-se que os músculos que serão forçados serão outros, então todo cuidado é pouco.

3) E o uso de tênis minimalista, substitui a corrida descalça?
Resp. A princípio não. Por um lado, a resposta seria sim, já que os tênis minimalistas permitem um desenvolvimento de toda a musculatura dos pés e tornozelos que não ocorre com o tênis convencional, que "faz" todo o trabalho para nós. Os que adotam a corrida descalça, entretanto, defendem que uma das principais vantagens desta é perdida com o uso de tênis minimalistas: o feedback recebido pela sola dos pés. Outra coisa é que o uso de tênis minimalista tem causado alguns casos de fratura por stress no metatarso. Não há um estudo aprofundado da incidência desta contusão, mas as referências abaixo 3.2 e 3.4 estão cheias de casos. Aparentemente são causadas pelo que se chama de TSTF, too soon too fast, ou seja, pela transição muito rápida, sem o devido preparo do organismo. Mas ainda não se tem certeza se o motivo é esse mesmo.

4) A mudança de pisada para tocar primeiro com o meio ou frente do pé em oposição com a pisada com o calcanhar substitui a corrida descalça? Se não, é benéfica de alguma maneira?
Resp. Não substitui pelo mesmo motivo explicado na pergunta anterior e por ser ainda menos parecida com a corrida descalça que os tênis minimalistas. Um dos principais problemas dos tênis tradicionais é que o calcanhar é muito mais alto que o meio do tênis, o que dificulta muito a pisada com o meio do pé. Agora, aparentemente, existe uma vantagem de pisar com o meio ou frente do pé em relação à pisada com o calcanhar, que é o menor impacto. Isto pode ser ainda melhorado com a redução do tamanho da pisada e uma corrida com boa postura. Mas é bom ressaltar que diversos corredores de ponta correm pisando inicialmente com o calcanhar e com a postura, aparentemente, ruim.

5) Pode-se usar o tênis minimalista como um período de transição para a corrida descalça?
Resp. Não é recomendado. Devido ao exposto acima, de perda de sensibilidade, essa, aparentemente, não é uma boa idéia. Os defensores da corrida descalça defendem que o incremento da distância e da velocidade já será feita aos poucos, devido às possíveis bolhas ou desconfortos no início, o que não exige nada para fazer a transição. Veja que não estou dizendo que os tênis minimalistas não devem ser usados, só que eles não devem ser usados como transição para a corrida descalça.

6) Recomenda-se usar tênis minimalista para sempre?
Resp. Não vejo nenhuma contra-indicação, desde que se respeite a transição lenta e gradual. Certamente haverá um desenvolvimento maior da musculatura dos pés e panturillhas e, APARENTEMENTE, menos contusões típicas de corredores, comparado aos tênis tradicionais.

7) Corro há anos e nunca tive contusões graves. Devo mudar algo?
Resp. No ponto em que estamos do conhecimento, eu diria que não. Mas ficaria atento aos estudos.

8) O Nike free pode ser considerado um tênis minimalista?
Resp. Sim e não. O Nike free tem uma escala que varia de 0 a 10. Quanto menor o número, mais próximo da experiência de correr descalça o tênis proporcional. No passado existiam o Nike 3.0, o 5.0 e o 7.0. O 7.0 está muito longe de ser um tênis minimalista. Agora a Nike lançou o modelo Nike Free Run +, que seria um 5.0. Resumindo a história toda, diria que o Nike free apresenta aspectos minimalistas no que diz respeito à flexibilidade e pouca correção de pisada, mas se aproxima de um tênis convencional por ter um solado grosso e principalmente por ter um calcanhar mais alto que o meio do pé. O Vibram Five Fingers é um tênis realmente minimalista.

9) Resumindo: o que é melhor - descalço, com tênis minimalista ou com tênis tradicional?
Resp Leia muito, ouça seu corpo e descubra o que é melhor para você. Neste momento ainda não há um consenso.


Algumas referências são os blogs:
1.1) Referência em defesa da corrida descalça: http://therunningbarefoot.com/
1.2) Referência contra a corrida descalça: www.runningbarefootisbad.com

Blogs e matérias neutras
2.1) http://www.runblogger.com/
2.2) http://www.revistacontrarelogio.com.br/materias/?Correr%20descal%E7o%20ou%20quase:%20uma%20tend%EAncia?.710

Referências interessantes:
Estudo de Harvard: 3.1) http://www.barefootrunning.fas.harvard.edu/

Forum de médicos, em geral contra a corrida descalça: 3.2) http://www.podiatry-arena.com/podiatry-forum/showthread.php?t=43282&page=3

Outros:
3.3) http://pes-descalcos.org
3.4) http://therunningbarefoot.com/?p=5303

3.5) O livro "Nascido para Correr"

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Minha experiência com Márcio Villar

Como prometido, vou contar um pouco da experiência que foi correr ao lado e assistir à palestra de Marcio Villar, ultramaratonista brasileiro.

O Márcio começou a correr, assim, como muitos de nós, para perder peso. Pesava quase 100kg, mal distribuídos em seus pouco mais que 1,70m. Começou correndo em volta do quarteirão, depois foi aumentando, aumentando, hoje ele é ultramaratonista.

Ele completou as 3 ultramaratonas de 135 milhas (217 km) mais difíceis do mundo: a Brasil 135, a BadWater (com calor que chega a 55º C) e a Arrowhead (com frio que chega a -40º C). Não satisfeito, ele dobrou as duas primeiras. Ou seja, fez ida e volta (434 km) da Brasil 135 e da BadWater. Atualmente busca apoio para fazer o mesmo na Arrowhead.

O Marcio é super simples, e correu conosco no treinão da Lagoa. Como tem um preparo físico excelente, ele revezava junto ao pacer de 5'/km, 6'/km e 7'/km e com as equipes que os acompanhavam. Corria falando o tempo todo e dividindo conosco suas histórias maravilhosas.

Ele contou, em sua palestra, que após cruzar a linha de chegada da Brasil 135 houve a notícia que uma corredora estava em apuros. Os organizadores da corrida formaram uma equipe para resgatá-la, mas não deixaram que ele fosse. Mesmo assim ele foi, e a corredora ainda estava muito longe. Descobriu que os organizadores queriam forçá-la a desistir da prova, pois ainda faltava muito. Ele, no entanto, foi com interesse diferente e a convenceu a continuar até a linha de chegada. O argumento foi o de que ele a acompanharia, o que, de fato, fez, por muitos e muitos quilômetros.

Outra coisa que ele falou foi contra a corrida ouvindo música. O treino de corrida exige foco, e que ouçamos o próprio corpo. Como é possível fazer isso ouvindo música? eu confesso que hoje tenho usado mais meu Ipod pelo Nike plus, sem ouvir música. Mas tem o investimento feito. Não sei se não vou ouvir música nunca mais. Talvez no médio/longo prazo.

Disse ainda que não aceita alguém terminar uma prova com aparência de quem não se esforçou muito. A prova é onde colocamos todo o esforço que fizemos no treinamento. Tem que dar 100%. Embora nesse ponto ele tenha dito que a corrida é o momento da celebração, da diversão. O sofrimento maior é no treino. Minha conclusão é que temos que dar 100%, mas nos divertindo.

Essa e outras histórias foram contadas, além de terem sido apresentado no telão reportagens com ele para Esporte Espetacular e até mesmo, Jornal Nacional. Ele também levou as medalhas destas provas principais (aqui ao lado a da BadWater, ainda que meio ruim pelo reflexo).

O que eu acho um grande barato destes caras é a humildade. É o caso do Marilson também. Uma vez apresentaram a ele pessoas que iam correr a mesma maratona que ele com tempo acima de 4 horas. O comentário dele foi algo como "não sei como vocês conseguem. Eu não teria capacidade de correr por tanto tempo"...Será que eles se tornam grandes corredores por serem humildes ou se tornam humildes por serem grandes corredores?

O site do Marcio Villar é www.marciovillar.com. Ele dá palestras, cujo tema é "Vencendo os desafios".

domingo, 15 de agosto de 2010

Treinão do "Pulso"



Hoje participei do Treino organizado pelo Blog Pulso, de O Globo. O evento incluiu:

· Palestra com o ultramaratonista Márcio Villar
· Massoterapia
· Alongamento (antes e depois do treino)
· Guarda-volume
· Assistência Médica
· Banheiro químico
· Hidratação
· Lanche
· Atletas para marcar o pace dos corredores inscritos
· Sonorização

Oevento foi muito bem organizado, ainda que um pouco vazio, devido certamente ao mau tempo. A corrida em si podia ser de 7,5km ou 15km. Achei bem interessante a experiência dos pacers (marcadores de ritmo), que iam de bicicleta.

Eu corri o tempo todo ao lado do pacer de 6'/km (foto tremida ao lado), e completei a volta de 7,5km em 43', chegando com sobras. Está bom para o momento em que estou, ainda que distante do meu PR (do ano passado) que é 38'23". O importante é que não senti qualquer contusão e me considero pronto novamente para reiniciar. Quem quis correr 2 voltas (15km), correu a 2ª sem pacer.


No final houve uma massagem (boooooooa) e as tradicionais frutas, água, isotônicos e barras de cereal. Depois, houve uma palestra com o ultramaratonista Márcio Villar que merece um post à parte, que farei depois.

Fiquei muito feliz de ter conhecido as amigas Denise e Angelica, que correram em velocidade parecida com a minha. Além disso, conheci um amigo da BandNews que correu ao meu lado, mas, como sou péssimo para nomes, esqueci o dele (UPDATE: A Angélica escreveu nos comentários que é José Carlos). Denise se prepara para sua primeira meia e Angelica já é uma corredora de longa data. O papo foi bastante agradável.


Quero sinceramente parabenizar a organização, pois não consegui encontrar nenhum defeito em um evento que, ainda por cima, foi gratuito.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Recebi o retorno de Harvard

Alguns posts atrás, eu comentei sobre o artigo de Harvard que sugeria que a corrida descalça trazia menor impacto para o corpo e, portanto, menor chance de lesão. Embora o estudo tenha sido patrocinado pela Vibram, como me alertou o Morgado, o que pode ter enviesado a análise, eu resolvi explorar um pouco mais o assunto.

Fiquei na dúvida se os autores do estudo acreditavam que os benefícios vinham de correr com os pés descalços ou de correr pisando primeiro com o meio ou frente do pé, ao invés do calcanhar. Resolvi então enviar um email para eles, e agora recebi a resposta. Vejam abaixo:

Minha pergunta:
Minha dúvida é se a redução de impacto ocorre porque corremos descalços ou porque, quando corremos descalços, tendemos a pisar com a parte mais frontal do pé. Em outras palavras, se eu for capaz de pisar com a parte frontal do pé, mesmo usando tênis, estará tudo bem? É possível fazer isso usando os tênis convencionais, como o Nike Vomero, por exemplo?

A resposta da equipe do Dr Lieberman
É absolutamente por causa da maneira que você atinge o solo, não devido ao que está nos seus pés. Você pode ter uma pisada frontal descalço, em tênis minimalista ou em tênis convencionais e ainda assim atingir o solo suavemente.
Assinado por: Adam Daoud

Em inglês:


Pergunta: "My question is whether the impact reduction occurs because we are running
barefoot or because, when we run barefoot, we tend to have a forefoot strike
pattern. In other words, if I am able to land with the forefoot even using
shoes is that OK as well? Is it possible with the current conventional running
shoes, like Nike Vomero, for instance?"
Resp: "It is absolutely because of the way that you strike the ground, not because of what's on your feet. You can forefoot strike barefoot, in minimal shoes, or in standard shoes and have a gentle landing."

A resposta veio dentro do que eu esperava. Por enquanto vou nessa linha, de correr com tênis convencional com pouco amortecimento, buscando reduzir a passada e pisando com o meio ou frente do pé.

Update da contusão: Consegui correr ontem, domingo! Mas a dor no tornozelo ainda está lá. Diria que, em uma escala de 0 a 10 ela passou de 6 para 5.5. Vou procurar focar essa semana na musculação e cross training de spinning e correr só no domingo para ver se vou melhorando.

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Outra vez de novo

Fiz este blog com a intenção de que fosse algo positivo sobre as corridas, mas às vezes fica difícil. Ontem resolvi tirar o marcador "tendinite" da nuvem de tags, pois ele estava em 1º lugar (!). O fato é que, nestes 7 meses de 2010 está difícil ter uma sequência mínima de corridas.

No domingo meu treino foi horrível, não rendeu nada. Tinha dormido mal, afinal estou com um recém-nascido em casa, mas mesmo assim fui treinar. Conclusão, além de um pace de tartaruga, senti uma dor que já tinha tido há anos, no tornozelo direito, que é justamente o mais fraco. Resolvi dar uma maneirada no início da semana e fiz uma musculação na segunda e uma aula de spinning na terça. Vi que meu condicionamento aeróbico está muito ruim e no ontem, quarta, senti o joelho, do esforço do spinning. O pior é que, aparentemente, a dor no tornozelo continua lá... Resumindo o ano: jan a maio - fascite plantar, jun a julho - tendinite no pé esquerdo e agora no tornozelo direito. Já mudei minha pisada para o meio/frente do pé, mas me machuquei de novo. Triste...

É óbvio que nessas horas passa pela cabeça aqueles pensamentos tipo "não é melhor tentar outro esporte?" ou "por que todo mundo consegue correr menos eu?". Mas aí procuro me lembrar de algumas histórias inspiradoras, de gente que teve que lutar muito mais que isso para continuar correndo e que está firme e forte. Tem gente que passou por uma quase amputação e dois anos de cama, cirurgias e muita dor (caso do Lelo, que já foi mostrada na Runners brasileira), e gente que amputou a perna para poder continuar correndo (não é mentira, para quem lê inglês, pode ler na Runners americana aqui). Afinal, o que são uma contusões menores aqui e ali?

É hora de manter o otimismo e a motivação. Analisando friamente, essa contusão não parece ser nada muito sério. É só a frequência é que aborrece. Mas um dia isso passa!

Sai zica!

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Selo

Eu estava adiando ao máximo, mas já foram dois convites, da Elis e da Katryny, então é hora de participar do Selo. Devo contar 10 coisas a meu respeito. Vamos lá:
1. Sou casado e tenho dois filhos. Amo muito minha família e vivo por ela. Amo muito também meus pais, irmãos e sobrinhas;
2. Tenho muito amigos e prezo demais as amizades. Não gosto de ficar sábado à noite em casa, então raramente eu fico. Meu programa preferido é ir em restaurantes com amigos.
3. Às vezes sou um pouco estourado. Mas, quando brigo, esqueço no momento seguinte. Perdôo com muita facilidade.
4. A corrida para mim é uma filosofia de vida. Corro para ficar em forma mas, mais do que isso, porque eu gosto muito. Tenho motivação inclusive para correr em esteira olhando para uma parede.
5. Procuro guiar minha vida pela lógica (não tem jeito, sou engenheiro :-), mas me considero também uma pessoa sensível. Me emociono com facilidade com filmes e livros.
6. Não tenho vergonha de chorar. A última vez foi ontem, lendo o livro de memórias de uma avó postiça.
7. Tenho muita dificuldade com as tarefas de casa, o que é um grande defeito. Para mim trocar uma lâmpada já é um desafio.
8. Tenho certa impaciência com injustiças. Isso, às vezes, me causa dificuldades.
9. Procuro dar o melhor exemplo possível para meus filhos. Isso inclui não puxar um cabo da Net para ter TV pirata no quarto. Inclui também votar em um candidato que seja melhor para a sociedade, ainda que seja pior para minha categoria profissional.
10. Adoro viajar com minha família e, se possível, com amigos. Minha lua-de-mel foi em um cruzeiro, e foi sensacional. Já tive a sorte de poder viajar para alguns lugares fantásticos, e minha esposa é minha grande companheira nessas viagens.

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Treinos na Semana

Bom, com essa semana conturbada está difícil treinar como planejado, não? nããããããããããoo. Estou conseguindo manter a rotina, em muito ajudado pela Licença Paternidade e pelas lições aprendidas no 1º filho. Resumo da semana:

Domingo: longão no Jardim Botânico (foto)
Segunda: off, afinal, foi o dia do nascimento do Davi
Terça: musculação
Quarta: Treino com ladeiras na Quinta da Boa Vista
Quinta: Musculação

Amanhã a idéia é fazer um intervalado na esteira, para completar a semana com um longão no domingo. A dúvida é se reponho o treino perdido de segunda com uma musculação no sábado ou não. Estou em treino para a Corrida das Estações - Primavera.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Nasceu!

Esse blog é sobre corrida, mas hoje tenho que falar sobre outro assunto mais importante. Hoje nasceu meu 2º filho. Não vou colocar muitos detalhes porque esse é um site público, mas queria só dizer que ver meu filho perfeito valeu mais do que a endorfina acumulada de todas as corridas do ano. Tudo na vida é relativo!

Demos muita sorte, pois notava-se claramente que ele era o mais inteligente e bonito do berçário. Tenho certeza que os pais dos outros bebês pensavam o mesmo. Pude notar que tem o DNA de corredor nas veias.

Que ele consiga realizar seus sonhos e seja muito feliz!

Abraço a todos,

Sérgio Melo

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Novo Ciclo

Essa foi uma semana de recuperação da Family Run e do tempo parado devido à gripe e contusão Agora estou 100%.

Achei que a corrida era curta (6 km) e, por isso, na segunda-feira estaria inteiro. Mas senti um pouco a panturrilha pelo esforço do sprint e, assim, deixei para voltar aos treinos na terça, com uma corrida leve. Ontem fui dar um primeiro treino intervalado na esteira, mas vi que minha forma piorou bastante. As quase 3 semanas sem treino estão cobrando o preço...

Para o segundo semestre, pretendo fazer a Corrida das Estações Primavera, e resolvi me inscrever para a Meia do RJ no ano que vem. Terei que treinar bastante...

Quanto à pisada, ainda não tenho uma opinião formada. Tenho corrido com um Asics com amortecimento médio, mas pisando com o meio para a frente do pé. O problema é que este tênis não vai aguentar muito tempo os treinos longos. Aí, o que fazer? Será que só mudando a passada eu consigo me livrar das contusões? o tempo irá dizer.

terça-feira, 20 de julho de 2010

Email à Spiridon

Ontem enviei um email à Spiriton, que é a organizadora da Maratona do RJ, com algumas sugestões para o próximo ano. Veja abaixo:

"Primeiro deixa-me dizer que adoro a Maratona do RJ. Gostaria de fazer algumas considerações de coisas que eu acho que poderia melhorar para o  próximo ano. Elas não custam dinheiro, então não devem ser tão difíceis de implementar:

1.    Atraso na largada: inconcebível, inaceitável. Tem gente ali preocupada com 1 segundo ou 2 de performance. Um atraso de mais de 10 minutos para largada da meia e de 5 para a Family Run não pode ocorrer.
2.    Marcação de km. Para a family run a placa do km 2 estava colocada no local errado, com certeza. Sei porque corri no mesmo pace do km 1 ao 3 e no cronômetro houve uma diferença muito grande. Ano passado ocorreu a mesma coisa. Não sei se o mesmo ocorreu na meia e na maratona. É o tipo do erro que pode atrapalhar toda uma estratégia de prova.
3.    Pórtico “falso” de chegada. Havia um pórtico da Casa & Video em local muito ruim. Quem correu a Family Run achou que era a chegada, mas era uma “pegadinha”. Todos os que correram a Family Run comentaram a mesma coisa. Tem que dar uma solução para isso.

Outras sugestões que eu faço, mas que são um pouco mais difíceis de implementar:

1.    Largada em ondas: não vejo porque não fazer. Mas tem que ser séria, na inscrição perguntando prova  completada e tempo. Hoje em dia, com os resultados todos online, não é difícil fazer a conferência. É possível automatizar, basta copiar os resultados das principais provas dos sites e criar um banco de dados único. Um sisteminha muito simples resolve esse problema e cria um baita diferencial em relação a outras provas no Brasil.
2.    Adiamento da inscrição: como é feito um grande incentivo para a inscrição com muita antecedência e sabendo que a corrida é um esporte onde as lesões são muito comuns, devia haver um mecanismo de adiar a inscrição para o ano seguinte. A Maratona de Londres eu sei que funciona assim. Basta colocar um tempo limite para adiamento, algo como 30 dias antes da prova. Se o atleta se lesionar ele adia sua inscrição para o ano seguinte (não cumulativo).

Pontos positivos:

1.    Horário: ótimo para a largada. Para mim esse é o fator principal para que ela seja considerada hoje a melhor do país. Ao contrário das outras que a Globo passa, essa começa em horário mais adequado ao organismo.
2.    Data: essa época, em mês de férias e quando o calor é menor é o melhor para fazer provas no RJ.
3.    Hidratação: bem feita. Elogiada em todos os blogs.
4.    Stands: muitos. Excelente estrutura.
5.    Feira no pré-evento: muito boa.
6.    Kit: este ano melhorou a qualidade da camisa. Bom kit.

Essas críticas são construtivas, no sentido de transformar essa prova em um evento ainda melhor.

Abraço,
Sergio Melo
corredorfeliz.blogspot.com"

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Valeu demais

Escrevo este post com a panturrilha ainda um pouco dolorida por causa do sprint final da Family Run, evento da Maratona do RJ.

Foi sensacional! Um grande evento, com boa organização e muita gente legal. Até São Pedro resolveu dar uma trégua e não choveu durante a prova.

Foi muito legal ter conhecido e encontrado tantos amigos virtuais que se tornaram reais. Alguns que me lembro foram a Teci (de Macapá !!), o Iberê (São Paulo), o Ruy (Vitória), o Felipe (Niterói) e certamente devo ter me esquecido um monte de gente.

O Iberê é muito gente boa, mas é realmente neurótico no bom sentido. Ele bateu seu PR e mesmo assim ficou chateado porque chegou 20 segundos acima do que esperava. Muito figura!!

Infelizmente não consegui encontrar o Jorge Maratonista, o Xampa e a Katryny, mas fica para a próxima.

Quanto ao Sérgio Xavier (foto), diretor da Placar e da revista Runners, tive o prazer de conhecer melhor. No sábado o encontrei por ocasião da tarde de autógrafos do seu livro "Operação Portuga" que eu já tinha lido (e gostado). O cara é muito gente boa, além de ter passado por um momento engraçado. Para quem não sabe a estrutura da prova era imensa, e, após a prova eu não conseguia encontrar a tenda da revista Runners, onde queria encontrar alguns amigos que conhecia pelo blog da revista. Aí encontrei o Sergio e pensei "finalmente estou salvo". Qual não foi minha surpresa ao perceber que ele tampouco sabia onde ela ficava. Conclusão: ficamos, sem exagero, uns 15 minutos perambulando até encontrar. Mas compensou, pois encontrei várias pessoas bacanas!

Quanto à prova em si, para mim foi dentro do que eu esperava. Após um primeiro semestre com tantas contusões, fiz o possível, e fechei com tempo parecido com o do ano passado, de 33 minutos e uns quebrados  (atrasei para ativar o cronômetro então não sei o tempo exato UPDATE: 33'36", 6" a mais que no ano passado). Fiz um baita split negativo, mas a base de muito esforço. A primeira metade foi feita em 18 minutos e a segunda em uns 15 e meio.

O que senti foi que faltou capacidade aeróbica na primeira metade, pois para ficar em um ritmo no limiar anaeróbico o pace ficou bem ruim. Já a capacidade muscular está boa, a prova é que estou muito bem, apenas com uma dor muito leve na panturrilha, após o sprint no final da prova. Pontos para o trabalho de esforço muscular que venho fazendo.

Depois da prova fiquei para assistir uma parte da chegada da meia e da maratona. De conhecido, só vi meu amigo (ainda virtual) Jorge, que calculo tenha feito a maratona em umas 3 h 8 min bruto. O cara é fera. Dei uma força para ele na chegada, um "Vai Jorge", mas não sei se ele ouviu. Tentei encontrá-lo após a chegada mas não o vi.

Avaliação da prova
Distância: 6 km
Altimetria: circuito plano
Tempo: 33'36"
Hidratação: a cada km, com água gelada, sem atropelos. Isotônico ao final Excelente.
Curiosidade: conheci vários amigos virtuais que se tornaram reais.