Maratona de Berlim 2013

Maratona de Berlim 2013

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

A busca pela corrida perfeita



Continuo pesquisando bastante sobre a melhor forma de correr, bem como levado minha própria experiência em conta para decidir como seguir adiante.

Há um tempo, como a maioria sabe, foi publicado o livro "Nascido para Correr". Ao lê-lo ficávamos com a impressão que a corrida descalça ou com calçados mínimos, como o dos Taramuharas, era a solução para todos os males, isto é, todas as contusões causadas pelas corridas. Hoje se sabe que não é bem assim. Uma coisa que talvez poucos saibam é que o próprio autor, Christopher McDougall, sofreu uma fascite plantar as vésperas de lançar o livro (há controvérsia se sofreu dela por 2 meses ou 2 anos), e quando já corria, teoricamente, pisando primeiro com o meio do pé (veja aqui). Ele diz que isso foi causado porque acreditou que já estava com a forma perfeita e passou a correr "de qualquer jeito" ou sem se preocupar com a forma e com qualquer tênis. É difícil saber, mas o fato é que isso só corrobora que não existe método infalível, que evite de forma definitiva as contusões.

Nesse momento, reflito sobre a minha contusão que, a propósito, voltou após parar com os antiinflamatórios. Creio, sim, que minha forma melhorou muito desde que comecei a correr e continuo acreditando que pisar 1º com o meio do pé faz mais sentido, como indica a maior parte dos artigos escritos sobre o assunto. Não é a toa que quase todas as marcas tem lançado tênis minimalistas. O ponto é que não se pode colocar a culpa só nos tênis. Tão importante quanto o tênis (ou mais importante) é a forma de correr, o volume de treinos, a condição física, as cargas com que se trabalha, ou seja, aquelas coisas todas que exageramos quando estamos em uma fase boa. No meu caso específico, tenho quase certeza que essa contusão, no posterior da coxa, surgiu na musculação quando fiz uma mesa flexora com peso exagerado logo da primeira vez. Esse foi o elemento disparador. A seguir, ela foi aumentando por um exagero nos treinos, no caso um longão em ritmo muito forte e a não inserção de semanas mais tranquilas no meio do calendário. Depois piorou ao participar de provas, nas quais sempre damos um pouco a mais, sentindo a contusão. Por último se tornou quase crônica ao voltar a treinar sempre antes da hora (sou fominha mesmo he he). Embora não se conheça bem o mecanismo que causa as contusões, uma coisa todos os estudos indicam: uma das causas principais de contusão é o histórico de lesões. É um verdadeiro ciclo vicioso.

Hoje tenho muitas dúvidas na minha cabeça. Será que devo continuar a fazer um pouco de spinning e musculação? e a natação, continuo? será que já não poderia voltar a correr devagar? Hoje minhas respostas seriam sim, sim e não. Vou vivendo assim, de dúvidas em dúvidas e com algumas certezas ;-)

Mudando de assunto, é impressionante como a natação dá fome depois do treino! coisa de doido!

16 comentários:

  1. sergio, acho que vc sabe o caminho e entendeu o que aconteceu.
    eu, por ex, dei uma bagunçada nas lombar há uns dias. o q dei mole? alongamento.
    sei e vou empurrando para o outro dia.
    outra coisa, é o core, preciso fortalece-lo.
    vá devagar, sem pressa e vá se descobrindo.
    abs e melhoras.

    ResponderExcluir
  2. Sérgio,
    Você já tentou consultar uma das muitas assessorias que cercam a Lagoa? Estas podem ser uma luz neste longo túnel que atravessa, meu amigo.
    Não que sejam a solução, pelo contrário. Já interrompi os treinos na assessoria, pois não consegui conjugar tempo e desempenho (sonho do treinador) em uma mesma frase. Mas ele me trouxe muita informação importante para equilibrar os treinos. Eu continuo resistindo a musculação, mas por falta de tempo. Porém, sei que para evitar lesões precisarei me dedicar a ela muito em breve.
    Quanto a fome, vou transcrever uma frase da minha mãe quando eu treinava: "filho, deste jeito você vai ter que ter dois empregos. Um para pagar as contas e outro para a comida". kkkk
    Abs

    ResponderExcluir
  3. Pois é, conhecer o corpo é o primeiro passo para desvendar o mecanismo dessas lesões que insistem em nos acompanhar. O meu gatilho pode ter sido a fome de ladeiras, ou não.

    Como não vivemos do esporte podemos nos dar ao luxo de repousar, apesar de ser uma chatice, e aguardar pela cura.

    Vamos que vamos!

    ResponderExcluir
  4. Sérgio,
    Parar um pouquinho pode ser a solução...
    Sim, depois da natação comia toda a feira da semana em uma manhã, dá uma fome incontrolável.
    Abração!
    Gilmar

    ResponderExcluir
  5. Vou tirar da cabeça a ideia de natação. O que não preciso é de mais forme! Miguel Delgado.

    ResponderExcluir
  6. Xampa,
    Valeu, amigo. Esse aprendizado é bom, mas às vezes dá uma vontade de querer adiantar logo as coisas. Pena que não dá. Temos que respeitar os tempos das coisas acontecerem...
    abraço,
    Sergio

    ResponderExcluir
  7. André,
    Obrigado, amigo. Já pensei em assessoria. Por hora, ainda acredito que não seja a solução. Até por dificuldade logística. Mas não descarto para um futuro...
    abraço,
    Sergio

    ResponderExcluir
  8. Drica,
    Obrigado! as ladeiras me dão muito medo, pois até no plano me machuco... Espero, entretanto, um dia poder corrê-las com mais coragem. Vamos que vamos!
    bjs
    Sergio

    ResponderExcluir
  9. Gilmar,
    é isso. Mas está difícil pacas...
    abraço,
    Sergio

    ResponderExcluir
  10. Miguel,
    esquece mesmo, então. Seu negócio é a corrida!
    abraço,
    Sergio

    ResponderExcluir
  11. Sabe Sergio, eu não acredito em lesões que não tenham causa e solução. Um amigo ortopedista me disse que 80% das vezes que um ortopedista orienta repouso + anti-inflamatório para tratar uma lesão o repouso total não era necessário. Eu tinha uma dor na virilha direita, desencadeada depois de uma corrida mais forte. Comecei a ler tudo sobre essas dores e descobri um músculo que agora nem lembro o nome e comecei a alonga-lo; a dor foi diminuindo e agora não sinto mais e não parei de correr. Era um alongamento muito diferente e deu certo.
    Eu não acompanho seu blog há muito tempo, por isso não sei quando foi que você teve essa lesão e qual foi o diagnóstico exato. Puxa vida, você mora no Rio, tem um montão de excelentes ortopedistas aí, não é possível que não tenha alguma solução mais "sensata". A questão levantada de entrar numa assessoria vem da preocupação quanto à pisada, postura e jeito de correr (como vc mesmo colocou no texto). Tem que lembrar que você treina longas distâncias e com o decorrer do treinamento o pé e o corpo começa a se comportar de forma diferente. Um amigo descobriu que pisava supinado no final das provas longas quando viu uma fotografia da sua chegada e descobriu a causa das dores. Arrumou o tenis e melhorou.

    Por fim, parabéns pelo belo texto e se eu chovi no molhado nas informações, desculpa a perda de tempo.

    abraços

    Matheus

    ResponderExcluir
  12. pois é meu caro , não sei qual é asua lesão mas sempre lhe digo que andei quase um ano com uma pobalgia(que apareceu no fim de treino para a maratona na ultima semana quando já tinha 800km de treino)depois de passar a consultar vários fisioterapeutas , eis que resolvi ir a um podologista.tinha um neuroma de mortem que provocava tudo e mais alguma coisa.um mês após usar umas palmilhas receitadas e contruidas de preposito para os meus pés estou muito melhor e no domingo até já corri uma meia maratona.a palmilha fez a correcção do apoio do pé talvez aqui esteja o segredo.porque não esprementar?abraço

    ResponderExcluir
  13. Matheus,
    tudo bem, amigo?
    Suas informações nunca são perda de tempo, ainda mais vindo de um médico!
    Fiquei pensando no que você disse. De início fiz o que você falou. Continuei correndo com a fisioterapia em paralelo. Só que a dor continuou. Aí resolvi parar tudo. Achei que tinha melhorado e voltei a correr. A dor voltou junto. Por último fiz uma ultra que não desvendou nada... já fui em 3 ortopedistas. Continuo na fisio, mas sem convicção. Não sei mais o que fazer.
    Abraço,
    Sergio (corredor feliz)

    ResponderExcluir
  14. Joaquim,
    Obrigado pelo comentário! que bom que achou a solução para o seu problema. O meu está difícil!
    abraço,
    Sergio (corredor feliz)

    ResponderExcluir
  15. Saudações Sérgio ...
    Obrigado pela visita e comentario em meu Blog... e agradeço mais ainda, o aceite nessa familia que já percebi que é muito bacana.
    Se for passar por aqui em Sampa, nos avise.... tomamos um café por ai ...
    PS. relcionei o seu blog no meu ...
    Sds
    Giba
    correndopelacidade.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Valeu, Giba! grande abraço!
    Sergio

    ResponderExcluir

Tenho um enorme carinho pelos que comentam por aqui e procuro responder a 100% dos comentários, aqui na própria seção. Vamos lá, diga aí embaixo o que achou ou qualquer coisa relacionada às corridas...