Maratona de Berlim 2013

Maratona de Berlim 2013

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Tênis ao lixo?



Uma discussão relativamente recente no mundo da corrida é em relação à melhor pisada. Não me refiro às pisadas supinada, pronada etc. Tradicionalmente, se acreditava que a melhor forma de pisar era primeiro com o calcanhar, posteriormente com o meio do pé e por último tocando com os dedos. Os tênis eram quase todos feitos com isso em mente.


De um tempo para cá, entretanto, surgiram várias questionamentos a esse método. O argumento é que esse não seria um método natural, já que, quando não usamos tênis, tendemos a pisar inicialmente com o meio do pé ou com o pé inteiro tocando o chão, para depois rolarmos para os dedos. Neste caso, o impacto no corpo seria menor. Já há inclusive, nos Estados Unidos, uma marca de tênis focada nesse tipo de pisada, ou seja, com amortecimento maior no meio do pé que no calcanhar, a Newton.

Indo mais além, há pessoas defendendo a corrida com tênis sem nenhum amortecimento, apenas uma proteção para a sola, como estes:

Chegando ao final da escala, há os que defendem a corrida descalça, por entenderem que o contato com o solo é essencial no processo de preparação do organismo para a corrida. Este site aqui, infelizmente em inglês, explica a idéia.


A discussão é longa, e impossível de esgotar aqui. Os estudos mais recentes tem mostrado que a corrida descalça realmente causa um impacto menor no organismo, o que causaria menos contusões. Mas alertam que é necessário um tempo provavelmente muito maior que o imaginado para adaptar o organismo a essa mudança, já que há um impacto maior no tornozelo e em alguns músculos da sola do pé do que quando se utiliza o tênis. Não foram realizados estudos sobre a frequência de contusões dos diversos tipos de pisada. 

Eu confesso que aproveitei minha volta de contusão para mudar um pouco minha pisada para a parte mais frontal do pé, versus o calcanhar. Até o momento, ainda é cedo para saber os efeitos da mudança. Mas acabei de comprar mais um tênis com amortecimento, pelo menos por 1 ano não pretendo mudar meu tênis para um mais minimalista. Depois, pode ser. 

Resumo dos treinos da Semana
Indice de adesão ao planejado: 100%
Alteração nos planos: troquei os treinos de terça pelos de quinta, por questões de logística. Aumentei uma série no intervalado, para completar 40 minutos. Continuarei fazendo isso no futuro.
Treinos (sábado à sexta): 3 de musculação e 3 de corrida
Sensação: Boa. A fascite ainda dá sinais. Sigo trabalho de alongamento e fortalecimento muscular.

6 comentários:

  1. oi, sergio

    legal o post!
    estou pensando em experimentar esse tipo de calçado com apenas a proteção para a sola dos pés! mas como os meus tênis ainda estão na "validade", então vou esperar mais um pouco, rsrsrs
    experimentei uma vez, aqui na vila onde moro, correr totalmente descalça! é estranho, principalmente no começo.... a gente sente cada farelinho do chão.... mas depois até que vai ficando bom;)
    corri apenas 1.5km, pra não arriscar justo na estréia...
    visitei o blog de um corredor que corre descalço:
    http://correndo-descalco.blogspot.com/
    muito interessante!

    também é possível encontrar informações interessantes no link:
    http://pes-descalcos.org/run/index.php?n=Main.HomePage

    de todo modo, no meu caso, pretendo aderir a esse modo de correr, mas não agora, e quero começar com um calçado que ofereça alguma proteção à sola do pé, porque acho que correr na rua sem proteção nenhuma pode ser arriscado!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Elis. Obrigado. Estou como você, com 2 tênis novos então por enquanto não vou aderir. Mas vi o blog, boa dica. Realmente parece que correr descalço é melhor. O problema é o medo. Medo de machucar o pé pisando em alguma coisa, de parecer muito esquisito, enfim. Sem falar na transição, que é longa. Estou como você, prentendo um dia aderir, mas vamos ver quando...
    abração

    ResponderExcluir
  3. Sergio, fiz um treino descalço no play do prédio. Foi muito bom. Com ele vc entende como deve ser a passada. Quem absorve o impacto é a panturrilha e a perna. Nessa mudança é preciso ir devagar, porque alguns musculos precisam se acostumar com o novo esforço.
    Não corro descalço, mas prefiro os tenis com menos amortecimento.

    ResponderExcluir
  4. pois é, Xampa. Aquele estudo em inglês parece ter sido bastante isento e mostra a aparente superioridade de correr descalço. Minha dúvida é se correr pisando com a frente do pé, ainda que com tênis, ao invés do calcanhar, já ameniza o problema. Tenho conseguido fazer isso, o que já comprovei filmando minha corrida. O pior é que meus tênis têm bastante amortecimento (Nike Vomero 4). Fazer o quê...

    ResponderExcluir
  5. Morgado - São Paulo22 de junho de 2010 14:11

    Sérgio, não sei se é do seu conhecimento, mas essa pesquisa da Nature foi financiada pela Vibram. Abs.

    ResponderExcluir
  6. Olá, Morgado, obrigado pela visita. Não tinha notado isso, mas confirmei o que você disse. Realmente esse fato poderia criar um viés no estudo. A verdade é que o debate está longe de terminar, e cada um tem a sua visão. Pretendo me aprofundar um pouco mais no assunto, inclusive fazendo pesquisa de campo para ver como funciona comigo. Por enquanto a única evidência que tenho é que correndo com tênis ultra-amortecido fiquei com uma fascite plantar bilateral pesada. Mas não posso relacionar causa e efeito... Espero sua contribuição mais vezes aqui no blog.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir

Tenho um enorme carinho pelos que comentam por aqui e procuro responder a 100% dos comentários, aqui na própria seção. Vamos lá, diga aí embaixo o que achou ou qualquer coisa relacionada às corridas...